Um livro é uma coisa que dá muito trabalho #visibilidadedacampanhadecrowdfunding-parte1

i'm possible

Uma das coisas que os simpáticos senhores do PPL dizem quanto ao marketing da campanha de crowdfunding é que os primeiros apoiantes de qualquer projeto são as pessoas na sua rede social.

Aproveitando a sua dica, na primeira parte da campanha, usei essencialmente contactos de email e facebook para fazer a publicidade ao projeto.

Se vão fazer uma campanha de Crowdfunding, um vídeo que vocês TÊM de ver é este:

Então, aqui vão as coisas que eu tenho feito até agora 🙂

Vídeo

Criei um vídeo com a ajuda dos meus amigos e eles entram no vídeo. É uma coisa algo relacionada com o nosso zeitgeist (por exemplo o video clip do hit do Pharrel Williams “Happy” – e também o surgimento de aplicações a one second daily cam ou redes sociais como o Vine) – mas também com o facto do nosso attention span estar cada vez mais curto), mas também permitiu que o vídeo não fosse apenas comigo e que tivesse uma mensagem além daquela que eu queria transmitir verbalmente: é que estou a contar histórias de outras pessoas (reais e imaginadas) e por isso há um pouco da sua voz nos meus contos.

O vídeo é aquilo que outras pessoas com campanhas de Crowdfunding bem sucedidas indicaram como o mais relevante para o sucesso da campanha.

O meu vídeo da campanha não teve muitas visitas – o youtube detetou cerca de 60 visualizações agora mesmo quando o fui consultar – e reparem que uma boa parte destes hits devo ter sido eu a ver se dava com o link para enviar para outros 🙂 como agora 🙂

No entanto, a verdade é que apesar de já termos atingido o objetivo da campanha, ainda não sai muito da minha “zona de conforto”, ainda não publicitei a campanha fora da minha rede social.

Facebook

Tudo o que vocês podem ler sobre o Facebook e outras redes sociais é que há um overload muito claro de informação. Está toda a gente a querer passar uma mensagem, toda a gente a querer vender algo.

A partir do momento em que vocês fazem uma campanha de crowdfunding, também estão a vender alguma coisa.

 

Ou seja: porque raio é que alguém vai prestar atenção àquilo que vocês estão a dizer e a vender, especialmente se for para PEDIR alguma coisa?

 

Para mim a chave é não pedir, é oferecer algo. (a propósito esta é a filosofia que eu defendo com os meus estudantes quando eles estão à procura de emprego).

 

Então, no início da campanha o que eu fiz foi apenas informar que a campanha estava iniciada e dei o link para apoiar a mesma. Este post da página do projeto, o Personificcionar e paguei uma quantia (15€) para promover o post.

Vários amigos meus que já sabiam desta campanha que estava em eminência há mais de um mês publicitaram o link nas suas próprias páginas. (ah! Sim! também avisei que ia começar a campanha em vários sítios, facebook, blogs, etc. e pedi a várias pessoas para se irem filmando a dizer “eu a ti, contava-te uma história” como forma de promover a campanha 🙂 Tenho vídeos TÃO giros!!)

Acho que o “boost post” não teve um retorno económico imediato: daqui não resultaram contributos para o o projeto; mas a visibilidade do mesmo aumentou exponencialmente. Tinha mais ou menos 450 fãs na página antes do post e agora tenho mais ou menos 650. Acho que valeu a pena como investimento a longo prazo, mas não no imediato.

No primeiro dia recebi várias mensagens a perguntar como se fazia o pagamento no PPL – que é bastante simples e eles até explicam numa página específica; mas para poder responder com mais facilidade e porque sou de opinião que o foco deve estar no cliente (afinal já se nota que o meu doutoramento é em ciências empresariais) criei esta imagem:

10441143_657735384302596_356590745743832602_n

 

Depois disso, comecei a colocar online todos os dias um agradecimento às pessoas que tinham colaborado como projeto. Só isso, um agradecimento. Como sou uma pessoa “muito visual”, comecei a adicionar a esse agradecimento (que não queria fosse uma coisa chocha e banal) algumas imagens e frases. Tipo estas:

10406949_657679164308218_3653949733239097507_n

10446020_657855404290594_265565528746786696_n

Depois comecei a fazer disto uma espécie de “tradição” e todos os dias, no final do trabalho, estou a postar uma imagem com uma mensagem de que gosto e a partilhar os novos membros do meu “clube de crowdfundadores” 🙂 (do qual tenho mesmo muito orgulho!).

Tentei que a partilha fosse apenas uma vez por dia, para não cansar demasiado as pessoas; as imagens com uma mensagem têm a grande vantagem de acrescentar algo de novo e de partilhável, que não é apenas o facto de ter mais x apoiantes ou x% do objetivo cumprido.

Já depois de ter começado a campanha, quando encontrei a Editora Chiado no Facebook, percebi que esta é também a estratégia de marketing deles no facebook. E vale a pena espreitar.

Na sexta-feira, 13 de junho, lua cheia (uuuhhhhh!) o dia amanheceu com 90% do objetivo cumprido; nesta última fase, tentei postar uma contagem decrescente mais ou menos “em direto” e foi o dia em que mais “massacrei” a página. E foi uma emoção enorme, confesso 🙂 Foi um dia cheíssimo de alegrias, que culminou com uma apresentação das histórias ao vivo (que estava programada há meses) e amigos.

Até ao final da campanha, a ideia para já é ir mantendo esta rotina.

Email

Para já, tudo o que tenho fiz com o email foi informar os meus contactos de que a campanha estava iniciada e que o livro ia acontecer.

Aproveitei a oportunidade para dizer um “olá” às pessoas com quem já não falo há muito tempo e ao mesmo tempo para agradecer o seu input na minha vida – e direta ou indiretamente no livro.

Na verdade, enviei o email mais por descargo de consciência e porque as equipa do PPL indicava como boa prática; o retorno para o projeto existiu, sim, mas essencialmente foi uma ótima oportunidade para reestabelecer contacto com pessoas que já não vejo há muito tempo e que não têm facebook. O que  por si só já fez valer a pena 🙂 o título deste email foi “boas notícias” – porque enfim era mesmo isso que eu queria comunicar 🙂

A partir de agora, provavelmente vou manter os meus crowdfundadores a par das novidades do projeto com um mail semanal.

 

Outras ideias

Ainda explorei muito pouco os media, e suponho que esse é o próximo passo. Este mês tenho duas apresentações de histórias (uma foi no dia 13) e a próxima é no dia 21, no Centro Budista do Porto.

10387383_10203055335576124_5065839323494644449_n

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s