[um ano sem tv] agosto

Este mês foi mais uma experiência nesta tarefa. Férias = “quero lá saber” e vinguei-me de todas as tentativas de controlo durante estes 8 meses; no entanto deu para perceber que estes meses tiveram frutos e consequências boas, mas também deu para relembrar como era a vida antes da experiência. Ainda não estou onde queria, mas estou a caminho.

august

Então, vamos lá às primeiras coisas: tese quase acabada de escrever e quase pronta a entregar (falta o aval final da orientadora e aqui vai disto!).

Isto só foi possível porque passei estes meses todos a controlar o vício e a tentar afastar-me do computador nos tempos livres, pura e simplesmente. Acrescento que no mês de agosto mantive a internet a funcionar em casa, mas que o mesmo não irá acontecer nos restantes meses do ano, porque apesar de tudo perdi imenso tempo a ver coisas que tinha na minha lista de youtube e alguns programas mais informativos, documentários e outras coisas (Martha Stewart!). Como o meu ano começa sempre depois das férias de verão e as férias de verão acabaram, a última “pernada” de 2015 tem mesmo de ser a valer.

Consegui fazer um balanço importante este mês: as conquistas até agora são que deixei por completo de ver séries, embora continue a ver coisas no youtube por sistema (p.ex. os clipes do Last Week Tonight do John Oliver e os clipes do Porta dos Fundos); em agosto vi episódios da nova temporada o “project runway”.

Por muito que me queira convencer do oposto, há algumas vantagens fantásticas com o uso da internet e do youtube, nomeadamente, do ponto de vista da criatividade, motivação, foco, desenvolvimento de estratégias, informação… etc. O meu problema é que não sei parar e como diz a Martha Stewart, não basta ter boas ideias, é preciso pô-las em prática.

No fim do mês tive um episódio que me fez lembrar como era “a vida” no início de 2015 e o que me fez querer mesmo mudar tudo e agir de forma mais radical. Estive a trabalhar de forma que – sem me dar conta – se estava a aproximar do que eu fazia antes: um programa a dar enquanto eu fazia outra coisa qualquer, o que resulta em atenção dividida (nem se vê bem o programa, nem se foca bem o trabalho) e um trabalho muito mais lento. Acrescenta-se que o entretenimento e o trabalho passam a estar juntos no pc e misturam-se, o que resulta numa menor disponibilidade para os outros, porque também fico menos tolerante e mais irritável.

A partir da próxima semana (este fim de semana tenho visitas) tiro a internet de casa até ao próximo ano. No último terço do ano quero ver se consigo fazer isto acontecer e tenho projetos importantes a concluir. No próximo ano tenho de arranjar uma estratégia qualquer para incluir alguma internet e youtube na minha rotina, porque as vantagens da coisa são também muito importantes para mim.

Durante este mês li imenso e vi montes de programas sobre organização pessoal e decidi algumas coisas, nomeadamente que vou estabelecer mais rotinas diárias (têm ajudado imenso, e ainda falta incluir bastantes coisas no que eu quero que aconteça na minha vida). Para já estou a habituar-me que s primeiras 2 horas de cada dia são para ler coisas e escrever coisas na área da minha investigação e todos os dias antes de ir dormir certifico-me que a casa está mais ou menos em ordem. Agora estou a trabalhar numa forma de retomar a minha eficiência com os emails, neste esquema. O plano é começar a responder a emails logo a seguir a trabalhar “para mim”.

Decidi ainda que vou disciplinar-me para parar de trabalhar às 18h, porque a vida existe além do trabalho. Isto tem feito com que eu tenha tempo e disponibilidade mental para outras coisas e pessoas. Ou seja, estou mesmo apostada em melhorar a minha eficiência, mas também em equilibrar a minha vida com o meu trabalho (algo que não tem acontecido bem nos últimos anos, mas isso já é outra conversa :)).

Ando a ouvir Satie, Chopin e Debussy para trabalhar e ouvi livro “sex and cupcakes: a juicy collection of essays” da Rachel Kramer-Bussel (recomendo!). Comecei a ler vários outros, mas nada de consequente (oh internet!).

Setembro vai ser um mês grandioso!

Autumn24

Um pensamento sobre “[um ano sem tv] agosto

  1. Pingback: [Um ano sem televisão] um resumo | Helena G. Martins

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s